As primeiras efemérides de Iepê

Por Adalbacom - 6.3.18


– Autor: Celso William Cardoso Rodrigues –

No final do mês de maio de 1917 chegam, abrindo a primeira picada, provenientes de Dourado, atual Tarumã, Anfrísio Rodrigues e Júlia Coutinho Rodrigues recém-casados (registro de nº 10 em Assis, SP), João Antônio Rodrigues e Isabel Galvão Rodrigues, juntamente com seus primos José Lino Santana e “Filoca” (Filomena) Rodrigues (irmã de Anfrísio e João, portanto primo e cunhado), João Rufino Sant’Ana e Rosalina, todos os homens naturais da atual Porangaba, SP. Estes adquiriram conjuntamente a Fazenda 3 Coqueiros, cujos limites eram, do ribeirão Figueira, até a parte mais alta entre a bacia deste e do Ribeirão Bonito. 

Logo a seguir chegam Antônio de Almeida Prado, Francisco Severiano de Almeida, Tertuliano Machado Coutinho e Brasilina Alves Moreira (sogros de Anfrísio), este último, mineiro de Borda da Mata, Minas Gerais, o qual adquiriu terras na bacia do ribeirão Patinhos. 

O primeiro nascimento ocorrido nas terras futuramente iepeenses, foi o de Nelson Coutinho Rodrigues, numa casa de barro às margens do ribeirão Figueira, filho de Júlia e Anfrísio, registrado em Conceição de Monte Alegre, hoje distrito de Paraguaçu Paulista, SP. A primeira escola, rural, iniciou-se ao lado da casa de Anfrísio, numa sala alta, sobre um chiqueiro de porcos, em sua fazenda, na água da Figueira. 

João, Anfrísio e Filoca, nascidos em Porangaba, SP, trouxeram junto sua mãe, Joaquina, natural de Petrópolis. Antes haviam morado também em Botucatu, Itatinga, Assis (onde Anfrísio instalou o primeiro açougue). Em Itatinga, residiram na Fazenda Potreirinho, hoje horto florestal da USP, às margens da atual Rodovia Castello Branco, propriedade das famílias Rodrigues e Sant’Anna, onde um tio (e primo) Sant’Anna (casado com uma outra irmã de João e Anfrísio) morreu picado de cobra. 

Os Coutinho moraram antes em Jacarezinho, Paraná, onde tiveram embates com índios e onças, quando então mudaram para a nascente Assis. Já Isabel Galvão era de família tradicional da Igreja Presbiteriana Independente de Botucatu.

  • Share:

Você também pode gostar

0 comentários

Adicione aqui seu comentário...